"O verdadeiro analfabeto é aquele que sabe ler, mas não lê." Mario Quintana

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Resenha: Quem é você, Alasca?

E ai meu povo, tudo belezinha?

Como está o clima por ai? Aqui no Rio de Janeiro está uma chuvinha gostosa, e não tem como não gostar desse tempo meio friozinho. E é nesse clima gostoso que eu trago para vocês a resenha de um livro que eu me apaixonei.

É muito difícil resenhar esse livro, parece que quanto mais eu escrevo e falo dele, mas eu deixo algo de fora. Nada que eu fale parece ser o bastante para deixar claro que esse livro é maravilhoso. Então, me desculpem se ficar meio embolada essa resenha, mas tentarei ao máximo não confundir vocês rsrs.




Título: Quem é você, Alasca?
Ano: 2015

Título: Looking for Alasca
Ano: 2005

Autor: John Green
Editora: Intrínseca
Tradução: Edmundo Barreiros
Gênero: Romance / Jovem adulto





Miles é um adolescente que leva uma vida sem graça e sem muitas emoções. Excluído na sua escola, ele não é nada popular e nem tem amigos. Ele tem um hobbi um pouco estranho, ele memoriza as últimas palavras de personalidades da história. Esse hobbi faz com que ele queira mudar, tudo por causa das últimas palavras de François Rabelais, um escritor do século XV. François disse, prestes a morrer, que ia em busca de um Grande Talvez.

Miles vai para um novo colégio tentar viver uma nova vida, ser outra pessoa e tentar encontrar o Grande Talvez da vida dele.
É nessa escola que a história se passa. Miles conhece Chip, seu colega de quarto, Alasca, Takume e Lara.

Uma amizade nasce, e Miles ganha um apelido. Bujão. Chip dá esse apelido a ele porque Miles é muito magro, e esse serio um apelido irônico. O próprio Chip tem um apelido, Coronel. Isso por que ele manda em tudo e sempre está a frente dos planos, junto com Alasca.

Alasca é misteriosa, divertida, mas também é bem bipolar. A cada momento conhecemos uma nova Alasca. Ele tem um namorado que é mais velho que ela, se não me engano, e eles se amam muito.

Ela me lembrou muito a personagem Effy do seriado Skins, e nem preciso dizer que me apaixonei por ela rs. Effy é minha personagem favorita no seriado, e Alasca logo ganhou minha simpatia.

E porque eu achei Alasca parecida com a Effy? Essa é fácil. As duas fumam e bebem sem pensar nas consequências, ou pensando nas consequências neh?! Já que as duas fumam para morrer, que é uma coisa até que engraçada, já que, tanto no Alasca quanto Effy dizem essa frase. Elas são irônicas, debochadas, e tem um humor super instável. Alasca causa um efeito nas pessoas que acaba por deixa-las apaixonadas, coisa que também acontece com Effy, quem não se apaixonou por Effy em Skins?

Alasca tem uma questão que compartilha com Miles, e é sobre uma última palavra, escrita em um livro do "O general em seu labirinto" do Gabriel García Márquez. "Como vou sair desse labirinto?"
Mas o que é o labirinto?

A escola é dividida em duas; alunos que ficam a semana toda no colégio em regime de internato, mas que passam o final de semana em casa com os pais. São os alunos ricos, e são chamados de guerreiros de segunda a sexta; e tem os alunos que realmente vivem em regime de internato, indo para casa apenas nas férias e feriados. São os alunos bolsistas, onde estão os protagonistas, e eles são chamados de guerreiros. 

Existem uma rivalidade entre os dois grupos, os guerreiros contra os guerreiros de segunda a sexta. Mas mesmo assim, Chip namora uma guerreira de segunda a sexta, a Sara. Eles são completamente diferentes, e brigam muito, e até o Chip não sabe o por que eles namoram.

Os guerreiros de segunda a sexta fazem um trote cruel com Miles, um trote que era pra ser normal e inofensivo acaba quase sendo uma tragedia. Achei pura babaquice o que eles fizeram.

Miles está descobrindo como é ter amigos, e junto com os amigos ele está tendo suas primeiras experiências com cigarros, bebidas, matar aulas e planejar trotes.
Miles tem um sistema que eu achei hilário, ele conta quantas camadas de tecido estão entre ele e Alasca quando eles se tocam. Exemplo, se eles se abraçam, Miles conta mentalmente o número de camadas que estão entre os dois. A camisa dele, a camisa dela e o sutien. 3 camadas.

Uma personagem que eu me apaixonei muito foi a mãe do Chip. A Dolores. A família dele é bem pobre, mas são divertidíssimos. A mãe dele é pura diversão, muito animada e ainda ajuda eles em tudo o que eles precisam. Até chegou a acobertar a turma para que eles pudessem aprontar um trote na escola. 

O livro é narrado em primeira pessoa pelo Miles, e é dividido em duas partes "Antes" e "Depois". Ou seja, tem um acontecimento marcante que divide o livro em duas partes. Realmente o acontecimento é um divisor de águas.
Uma coisa bem legal é que, o livro não tem capítulos comuns como os demais livros. Aqui os capítulos são em forma de dias. Cento e três dias antes, Quarenta e cinco dias antes, Dez dias depois, Vinte e sete dias depois. Eu achei isso muito criativo. Cada capítulo é um dia inteiro, mas não pense que vai ser longo e cansativo por causa disso, não, não. É divertido e leve, passa rapidinho.
Eu já tinham visto esse tipo de divisão no livro "Cidades de papel", também do John Green, e tenho o pensamento de que essa possa ser uma assinatura dele, ainda não li nenhum outro livro dele além desses dois, mas por enquanto tem se repetido esse padrão. E está dando certo.

Esse foi o primeiro livro do John Green a ser publicado, e conseguimos perceber o quanto a escrita dele é boa e a trama bem construída. Eu conheci esse livro assim que lançou aqui no Brasil, em 2010. Eu vi na revista "Capricho" (sim eu lia Capricho rs) esse livro na lista de indicações, e sem saber da história, sem conhecer nada do autor, só de olhar para a capa e o nome, eu já fiquei com vontade de ler. Mas passou anos e anos até eu finalmente pegar o livro para ler. E a surpresa foi tão grande. O livro é espetacular, ele te prende, te faz pensar, tem momentos hilários, tem momentos de choro, é um livro bem completo. A escrita não é cansativa, pelo contrario, ela nos dá vontade de ler cada vez mais.

Esse é um livro que você pode ler tanto para lazer, apenas para distrair e tals, como também pode ler de maneira mais profunda, absorvendo todos os ensinamentos contidos nele. E uma marca do John Green, que eu tenho percebido nos seus livros, é sempre ter ensinamentos escondidos em cada linha. Mas nada muito gritando, é tudo de forma bem leve e discreta.

Segundo o próprio John Green, "Quem é você, Alasca?" tem uns pontos meio biográficos. Ele se inspirou em amigos e experiências que ele teve durante a escola. Sem contar que, ele mesmo tem esse gosto por últimas palavras, assim como o protagonista do livro.

Eu sei que vai sair um pouco do foco (bem pouquinho), mas eu queria listar aqui alguns ensinamentos que eu percebi no decorrer do livro:

- Perdão - Perdoar a si mesmo e aos outros é essencial para se viver em paz e não remoer as coisas que passaram;
- Aceitação - Tem coisas que não podemos mudar, algumas coisas acontecem porque tem que acontecer, e não devemos ficar nos culpando por coisas que não temos o poder de mudar;
- Perdas - Perder faz parte da vida, a vida é feita de momentos efêmeros, porém, que estarão sempre presentes em sua memoria. Pessoas, coisas e momentos são passageiros, os sentimentos é o que vão ficar. Aproveito o máximo que puder cada instante.
- Amizade - É ao lado dos verdadeiro amigos que fazemos nossas descobertas, onde descobrimos quem nós somos. São eles que estão ao nosso lado para nos ajudar.
- Respeito - Ninguém é idêntico a gente, cada um é da forma que é, tem sua personalidade. Aceitar e respeitar o outro é saber que essas diferenças é que nos tornam únicos, e é nas diferenças que aprendemos. Cada um tem a sua maneira de pensa, atitudes e reações diferentes da sua, e devemos respeitar isso.
- Seguir em frente - Os obstáculos não podem nos impedir de chegar onde queremos, seguir em frente é importante. As vezes se torna difícil, as vezes é insuportável, mas sempre é necessário.

Nada do que eu diga sobre esse livro pode expressar o que eu realmente senti ao lê-lo. Sei que existem algumas críticas ruins, sei que algumas pessoas detestaram. Mas eu amei, e sem duvidas já está na lista de favoritos.


CITAÇÕES

"E isso os acalmou. Eu estava atrás de um Grande Talvez, e eles sabiam tão bem quanto eu que não iria encontra-lo com pessoas como Will e Marie". (Página 14)

"Não dá para simplesmente ficar prolongando certas coisas para sempre. Chega um momento em que o melhor a fazer é arrancar o Band-Aid. Isso dói, mas depois passa, e então vem o alívio". (Página 15)

"- Por que você fuma tão rápido? perguntei.
Ela olhou para mim e abriu o maior sorriso, e aquele sorriso tão largo em um rosto estreito como o dele teria ficado estranho não fosse o verde impecável e incomum de seus olhos. Ela sorria com o prazer de uma criança em uma manhã de Natal.
- Vocês fumam por prazer. Eu fumo para morrer - disse ela". (Página 57)



É isso ai pessoal, espero que tenham gostado. Deixem ai nos comentários o que você achou da resenha. E se você já leu o livro, nos conta ai o que você achou.
Não deixem de seguir o blog, curtir nossa página no Facebook para ter acesso a conteúdo extra, e nos seguir no Twitter.
Até a próxima...



...Diálogo literário...
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário